terça-feira, 3 de junho de 2014

ADIPOSIDADE, FORÇA MUSCULAR E CAPACIDADE FUNCIONAL EM MULHERES ACIMA DE 50 ANOS DE IDADE

ADIPOSIDADE, FORÇA MUSCULAR E CAPACIDADE FUNCIONAL EM MULHERES ACIMA DE 50 ANOS DE IDADE

Durante o processo de envelhecimento ocorre diminuição da força muscular que está relacionado com a atrofia muscular, principalmente na diminuição de fibras musculares do tipo II. Esta diminuição no processo neuromuscular tem relação direta com a capacidade funcional. Já a adiposidade aumenta durante o processo de envelhecimento e estudos mostram que a atividade física provoca alterações na força muscular e nem sempre está relacionado com mudanças na composição corporal. Diante disto o objetivo do presente estudo é associar a adiposidade com a força muscular e capacidade funcional em mulheres acima de 50 anos de idade. Foram avaliadas 155 mulheres com idade entre 50 e 88 anos (68,44 +7,63 anos) participantes de aulas de ginástica aeróbica 2 vezes na semana pertencentes ao Projeto Longitudinal de Envelhecimento e Aptidão Física de São Caetano do Sul desenvolvido pelo CELAFISCS desde 1997. As variáveis antropométricas analisadas foram a massa corporal, o ìndice de massa corporal (IMC), a adiposidade através da média de três dobras cutâneas (triceps, subescapular e suprailíaca), a circunferência da cintura e a relação cintura-quadril. A força muscular pelo teste de preensão manual e pelo teste de impulsão horizontal e a capacidade funcional pelos testes de equilibrio estático, velocidade de levantar da cadeira, velocidade de andar, velocidade máxima de andar e a agilidade propostos por Matsudo S (2004). Para o teste de normalidade foi utililizado o teste de Kolmogorov Smirnov, a análise estatística utilizada para relacionar as variáveis de adiposidade com a força muscular e capacidade funcional foi a correlação de Spearman e o nível de significância adotado foi de p<0,05. Ao associar a adiposidade com a força muscular, foi encontrada associação significante entre a massa corporal, IMC, adiposidade e circunferência da cintura com a dinamometria, porém de fraca magnitude e positiva. As mesmas variáveis se associaram com a impulsão vertical, porém de baixa magnitude e negativa. Quando associada a adiposidade com a capacidade funcional, foi encontrado associações significantes entre a massa corporal, o IMC e a circunferência da cintura com a agilidade, velocidade de levantar da cadeira e o equilíbrio estático. A relação cintura e quadril não se associou com nenhuma variável. Houve associação entre as variáveis que indicam adiposidade com as variáveis de força muscular e capacidade funcional, porém associações de baixa e fraca magnitude.


Palavras chaves: Envelhecimento, Adiposidade, Força Muscular, Capacidade Funcional